De acordo com uma recente publicação da Frontex (Agência de Fronteiras da União Europeia), o número de brasileiros barrados no primeiro semestre deste ano em aeroportos europeus aumentou 9,5%.

Cerca de 923 brasileiros foram impedidos de entrar em países da União Europeia até o momento. No primeiro semestre do ano passado esse número foi menor: 843.

A agência aponta que esse crescimento se deu pela crise econômica que o Brasil está passando. Economia flutuante e alta no desemprego foram dois dos fatores levados em consideração. Segundo a fonte, 2017 está sendo o ano em que os brasileiros estão com mais dificuldades de entrar na Europa. Desde o final de 2015, o volume de barrados tem chegado a 60% a mais que em períodos anteriores.

Com esse quadro, as fronteiras europeias estão cada vez mais alertas. Junto com os outros países latino-americanos, o Brasil aumentou o número da taxa de recusas na entrada desses países em 40% comparado ao ano passado. No geral, os povos que mais são impedidos de entrar no continente europeu são os colombianos, os venezuelanos e os brasileiros.

Além da fiscalização nos aeroportos, a UE passou a realizar uma vigilância interna em seus países. Seu resultado foi a expulsão de cerca de 5 mil brasileiros que estavam vivendo ilegalmente no continente.

Entrar na Europa ficou mais difícil?

Talvez! O que o governo europeu está mais preocupado é com as condições de subsistência de cada turista, ou seja, se ele tem dinheiro suficiente para viver por lá.

As dicas que podemos dar para impedir que você seja barrado são: não aja de maneira estranha e/ou suspeita dentro dos aeroportos e evite andar com documentos falsificados na carteira ou na mala.