Se você está participando de um processo seletivo ou pretende ingressar em uma faculdade fora do Brasil, confira essas dicas

Para conseguir uma vaga no exterior, seja em faculdade, pós-graduação ou MBA, é preciso que o aluno brasileiro se prepare de forma única para todo esse processo, que é bem diferente do método brasileiro. Por isso, é muito comum que agências de intercâmbio ajudem os jovens até mesmo nessa hora – de escolher uma faculdade, aplicar-se e como se conduzir no processo seletivo como um todo.

Uma das maiores diferenças entre os processos seletivos é que, diferentemente do Brasil, o aluno precisa entregar um histórico escolar com todas as suas médias, apresentar documentos como o toefl, entre outros. Além disso, é necessária uma carta de apresentação, também conhecida como “cover letter”. Se você está se aplicando e ainda não sabe como fazer a sua, confira as dicas abaixo.

Quem é você?

O primeiro parágrafo deve ser dedicado a clássica pergunta: quem é você? É aqui que você deve dizer seu nome, idade, da onde veio, onde estudou e porque deseja fazer “esse” curso. A carta é o meio pelo qual você pode mostrar mais de si, não só do que está escrito em seu currículo, e por isso é muito importante que ela não seja uma versão estendida dele, mas sim, um material extra, que os ajude a saber mais sobre sua personalidade. Por isso, a autenticidade, honestidade e sinceridade são essenciais.

Quais são suas motivações?

Após se introduzir e se apresentar, chegou a hora de falar de suas motivações, histórias e experiências que te trouxeram até aqui e te fizeram escolher essa escola para fazer parte dos seus próximos anos de vida.

Onde quer chegar?

Fale dos seus sonhos, perspectivas de vida e o que almeja ser um dia e como a escola escolhida vai te ajudar a conquistar tudo isso.

Limites

Lembre-se que a carta de apresentação não deve ultrapassar o limite, caso ele exista, e também não precisa ser um livro, mencionando toda a sua vida. É preciso achar o limite entre objetividade e detalhe.

E o inglês?

É muito fácil para um avaliador reconhecer que você utilizou um tradutor. Por isso, se seu inglês não for impecável, é preferível que você peça auxílio para uma pessoa que saiba do que entrar na internet. Lembre-se, se sua nota no toefl é de um nível, como pode o seu texto estar em outro? Esse é mais um detalhe que não pode ser esquecido. Uma forma de não cair nos erros gramaticais da língua é já escrever o texto em inglês, ao invés de fazer em português e depois traduzi-lo, dessa forma desde o começo você já está pensando de acordo com a língua. Alguns erros gramaticais são passáveis, mas gramaticais não. Fique atento!