Entenda a diferença entre câmbio turismo e comercial de maneira simples e rápida

Uma das dúvidas mais frequentes na hora de comprar moedas estrangeiras é a diferença entre a cotação do Câmbio Turismo e Câmbio Comercial. A dúvida surge pela diferença significante entre as duas cotações.

Para entender a diferença é interessante, primeiramente, entender os principais conceitos por trás do mercado de câmbio:

 

Como são definidas as taxas de câmbio comercial das moedas?

Existem dois regimes de câmbio que um país pode adotar (há variações dessas duas vertentes):

1) Câmbio Flutuante

O valor da moeda local em relação às moedas estrangeiras é determinado livremente pelo mercado. A cotação varia de acordo com a oferta e demanda pela moeda.

Exemplo: Suponha que a taxa de câmbio entre o dólar e o real é USD 1,00 – R$ 3,30 (um dólar custa R$ 3,30), e que a quantidade de compras de bens e serviços brasileiros por parte dos americanos (ou países que utilizem o dólar como moeda de troca) cresça acima da quantidade de bens e serviços que os brasileiros compram dos EUA (ou países que utilizem o dólar como moeda de troca). Nesse caso, a busca por reais será mais intensa do que a busca por dólares, consequentemente, a cotação poderá cair.

2) Câmbio Fixo

O Banco Central do país mantém a taxa de câmbio de sua moeda fixa em relação a uma outra moeda. Na maioria dos casos, essa outra moeda é o dólar, porém, outras moedas “fortes”, como euro, iene japonês ou uma combinação de moedas também aparecem. Para manter a taxa de câmbio local (no nosso caso o Real) dentro do valor desejado, o Banco Central do país vende e compra moeda no mercado internacional (sempre em relação à moeda no qual a taxa está fixada).

Exemplo: O Banco Central do Brasil determina que USD 1,00 sempre será R$ 3,30. Ele necessariamente comprará ou venderá dólares no mercado para manter essa taxa de câmbio estável, visando neutralizar os fluxos diários de pagamentos e recebimentos do exterior.

 

Não existe arbitragem no mercado de câmbio.

 

Arbitragem acontece quando:

Uma moeda é convertida para outra moeda, que por sua vez é convertida para uma terceira moeda e que ,finalmente, é convertida de volta para a moeda original em um curto período de tempo para, assim, obter um ganho financeiro sem risco. Essa situação ocorre quando as taxas de câmbio dessas moedas não se encaixam perfeitamente. Arbitragens triangulares não ocorrem com frequência e quando acontecem duram apenas instantes, pois são identificadas por computadores avançados que se aproveitam da situação automaticamente e, assim, nivelam as taxas.

Utilizando taxas de mercado não existe arbitragem. Você pode trocar real por dólar, dólar por libra, trocar a libra por real novamente e ao final vai continuar com o valor inicial. As taxas de câmbio das moedas são todas equivalentes e interligadas.

Agora que já entenderam os dois principais conceitos do mercado de câmbio, podemos explicar a diferença entre câmbio comercial e câmbio turismo.

 

CÂMBIO COMERCIAL

É a taxa de referência do mercado. Ela flutua livremente ou sua cotação é fixada e não oferece arbitragem, ou seja, as cotações são todas interligadas. Ela é utilizada no pagamento ou recebimento dos recursos provenientes das importações e exportações de bens e serviços do Brasil com o mundo. Em outras palavras, é utilizada quando não existe a troca de dinheiro físico (papel-moeda). Para transferências internacionais é utilizada a taxa do câmbio comercial agregada de uma porcentagem que varia de acordo com a instituição e do valor transferido.

 

CÂMBIO TURISMO

Terminologia utilizada para classificar operações relacionadas à compra e venda de moedas estrangeiras para viagens ao exterior. Sua cotação é calculada com base no dólar comercial ou na cotação comercial de cada moeda versus o real. Ela é mais cara em relação a cotação do câmbio comercial, pois incorpora todos os custos envolvidos, desde a importação do papel-moeda do país de origem até a colocação nas casas de câmbio.

Uma fórmula simples para definir o Câmbio Turismo:

Cotação do Dólar Comercial = Cotação do Dólar Turismo

+ Impostos
+ Custos de Importação
+ Custos de Segurança
+ Custos Administrativos
+ Custos de Logística
+ Custo da Instituição Intermediadora
+ Custo do Estoque de moeda estrangeira que deixa de render os juros brasileiros

As moedas menos negociadas no mercado (também conhecidas por moedas exóticas) tem uma diferença (“Spread”) maior entre o câmbio comercial e o câmbio turismo. Isso ocorre por dois fatores principais:

1. O risco de manter uma moeda exótica em estoque é maior do que manter uma moeda estrangeira de alta negociação. A baixa demanda por moedas exóticas também significa que ela poderá “encalhar” por um maior tempo, então o risco da moeda oscilar entre o momento da compra da moeda e a venda para o cliente aumenta significativamente, consequentemente aumentando o risco da operação.

2. Os bancos compram quantias menores das moedas estrangeiras exóticas, então as margens de negociação também são menores devido à baixa disponibilidade.

Por conta desses fatores que casas de câmbio do mundo inteiro operam com a cotação do Câmbio Turismo acima do Câmbio Comercial.

Acompanhe as cotações do câmbio turismo e câmbio comercial.