Viajar para o exterior e ter a mala extraviada ou violada são situações mais comuns do que pensam a maioria.

Claro que ninguém deseja que isso aconteça consigo mesmo, mas como já dizia minha avó: “é melhor se prevenir do que remediar”. E como sabemos que seu objetivo é curtir as férias de verão e não ficar esperando por uma mala que não chega, preparamos algumas dicas de como você pode evitar que situações como essas aconteçam.

O que provoca um extravio?

Existem vários motivos que podem provocar um extravio de mala. O primeiro deles são as escalas entre os voos. Como as malas passam por diversas mãos (funcionários do check-in, porão e despacho), é possível que elas sejam direcionadas para outros lugares – principalmente quando o tempo entre as conexões são curtos demais. As empresas, com pressa de não atrasarem seus voos, muitas vezes não se importam em deixar pra trás algumas bagagens.

O segundo e maior motivo são os enganos dos turistas. É muito fácil alguém se confundir e pegar sua mala achando que é dela.

Entre as outras explicações estão as possibilidades das malas perderem suas identificações, serem furtadas ou até de ocorrer alguma falha com a empresa terceirizada responsável pelos despachos.

O que fazer para evitar?

#1 – Pertences valiosos devem ser levados na bagagem de mão: jóias, relógios, celulares, carregadores… tudo o que você tiver levando de mais caro prefira por carregar consigo na mala de mão. Isso evita que caso algo aconteça, você não acabe tão preocupado com essas coisas.

#2 – Conexões curtas: evite transferências entre voos internacionais com menos de 2 horas e meia. Acontece uma correria muito grande com suas bagagens nesse meio tempo. As companhias costumam se preocupar muito mais com os horários dos voos do que com suas malas.

#3 – Identifique suas bagagens: coloque um adesivo do lado de fora e de dentro da mala contendo seu nome completo e qualquer outro dado que você considere importante.

#4 – Retire as etiquetas de voos anteriores: isso evita que sua mala seja confundida ou levada para outro lugar.

#5 – Cadeado é fundamental: as inspeções norte-americanas de malas costumam ser um pouco agressivas em alguns casos. Por isso, com um cadeado bem colocado você evita que haja maiores danos em suas bagagens.

#6 – Toda mala deve ter a cara do seu dono: você pode customizá-la, colocar um adereço colorido e chamativo, ou qualquer coisa do tipo. Tudo isso para evitar que as pessoas a peguem por engano.

#7 – Contrate um seguro de bagagens: apesar de ser um gasto adicional, pode ser de muita ajuda!

Evite utilizar malas muito caras, não jogue fora a nota que comprova o despacho, e em hipótese alguma despache sua mala com cédulas de dinheiro dentro. Prefira por levá-las na mala de mão – você pode utilizar um suporte vazio de manteiga de cacau ou de M&M’s para esconder suas notas!

E se minha mala já foi extraviada?

O que não faltam são casos do tipo, então se isso acontecer com você, não se desespere! Primeiro, você deve preencher o RIB (Relatório de Irregularidades de Bagagem) no aeroporto. Nele, você coloca os seus dados pessoais e um valor estimado dos bens que tinham dentro da mala.

Caso isso não resolva, o site Melhores Destinos também dá uma outra alternativa: informar o que houve pelo SAC via e mail da companhia. Mas fique esperto: recorra à empresa em até uma semana após o acontecido. Caso isso não aconteça, é possível que sua indenização seja prejudicada. Em média, o seu valor é de 150 dólares.

Já em casos de violação ou roubo, você também tem duas saídas: informar a companhia, ou em casos extremos, até a polícia.