Saiba quais são os documentos necessários para realizar uma viagem com animais de estimação

Fazer uma viagem com animais de estimação está cada vez mais comum. Os animais de estimação cada vez mais são considerados membros oficiais das famílias. Filhos para uns, melhor amigo para outros, os animaizinhos têm rações e dietas especiais, vão para creches, tomam banho semanalmente e quando os “papais” viajam são deixados em hotéis específicos para pet, ou vão junto. 

 

Contudo, levar seu cãozinho ou gato para outros países envolve mais do que simplesmente colocá-los no avião. Os pequenos, ou grandes, seres precisam de documentos para embarcarem, assim como nós humanos. E se seu animal não estiver bem de saúde, ele pode ser barrado, afinal, a companhia aérea não quer que nenhum mal aconteça aos seus bichinhos.

 

O primeiro passo para que você possa levar seu animal junto com você em sua viagem internacional é se programar. Alguns documentos necessários podem demorar para que fiquem prontos e por isso o primeiro passo depois de saber qual é o seu destino é pesquisar nos sites oficiais o que é necessário para que seu cachorro ou gato possa entrar no país, uma vez que há variações de local para local.

 

Companhia Aérea

Depois do processo de documentação, é necessário que você entre em contato com a companhia aérea. Cada companhia aérea tem uma política própria para levar animais, o que pode incluir alguns documentos extras além dos necessários para entrar em outro país, e por isso também é necessário que entre em contato com a companhia responsável por seu voo. Normalmente, o número de animais dentro do avião é restrito, sendo assim, quanto mais cedo você avisar que levará seu animalzinho, há mais chances dele poder embarcar e também mais tempo você tem para deixar os documentos prontos.

 

Durante os voos, os pets podem ser transportados nas cabines ou no bagageiro. Tudo depende do porte do animal. Na grande maioria das companhias, animais que tiverem até 10 kg contando com o peso da caixa de transporte, podem ir nas cabines, já os animais maiores vão no bagageiro. A própria caixa de transporte precisa estar de acordo com as normas exigidas. É preciso que ela seja dura o suficiente para amenizar impactos e impedir “fuga”, não deixe as fezes vazarem, tenha espaço para que o animal possa levantar e girar 360º em volta de si mesmo, ser ventilada, ter fecho seguro e conter identificação do dono, com nome, sobrenome, telefone, etc.

 

Taxa adicional para viagem com animais

Além disso, embora as companhias aéreas tenham regras próprias sobre o embarque de animais, alguns procedimentos são parecidos. É o caso da taxa adicional para o transporte de seu cão ou gato. Seu cálculo pode ser diferente de uma companhia para outra, mas normalmente envolve o peso do animal junto com a caixa de transporte e o custo total da passagem comprada. Há possibilidade de uso de focinheiras.

 

Documentos

Para que seu animal seja bem-vindo no exterior é preciso que o documento seja aceito no país de destino e para que isso aconteça ele deve ser emitido pela autoridade veterinária do Brasil.Aqui, quem cumpre com essa finalidade é o CVI – Certificado Veterinário Internacional e o passaporte para gatos e cachorros – expedidos pelo Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional. Nesses documentos serão mostrados que que as condições e o histórico de saúde do seu pet permitem que ele saía do país assim como comprove que as exigências sanitárias também foram cumpridas.

 

Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos

O Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos não é exigido nas viagens internacionais, ele pode ser utilizado como um substituto do CVI nos países em que o aceitam. O CVI é obrigatório sempre que seu animal doméstico deixar o Brasil. Ambos comprovam que o animal está nas condições de saúde e sanitárias necessárias para que deixem o país. A única diferença é que o passaporte pode ser utilizado durante toda a vida do animal e só precisa que as informações sejam legalizadas antes das viagens, enquanto o CVI precisa ser emitido antes de todas as viagens do animal. As exigências específicas de casa país podem ser preenchidas por seu próprio veterinário com no máximo dez dias de antecedência da viagem com animais, documentos com datas posteriores a 10 dias não serão aceitos.

 

Todas as informações necessárias para que o CVI seja composto está disponível no Ministério da Agricultura

 

Cão Guia

Viagens com animais como cães guias não precisam pagar taxas adicionais para poderem embarcar. Além disso, podem estar presos somente com coleira e permanece ao lado de seu dono que deve ser colocado na primeira fileira do avião. Mesmo sob condição de cão guia, é importante informar com antecedência a companhia aérea de que o animal também embarcará. As documentações para transporte de cães ainda são necessárias assim como declaração médica de que o passageiro precisa do cão guia.