Saiba quais documentos extras são necessários para que a gestante possa embarcar

Férias programadas, trabalho ou fazer enxoval no exterior, esses são apenas alguns dos motivos para que mulheres grávidas entrem em um avião. Contudo, além dos cuidados adicionais durante o voo, alguns documentos extras também são necessários.

 

Qualquer mulher grávida pode viajar de avião?

Qualquer mulher grávida pode viajar de avião desde que não tenha complicações médicas. De acordo com o desenvolvimento da gestação, é preciso maiores cuidados e documentos para entrar no avião. Todavia, a maioria das mulheres que estiverem até a 28 semana de gestação, no caso de um bebê, ou de 25 semanas, no caso de gêmeos, podem viajar sem declaração médica, porém, algumas companhias aéreas exigem que as mulheres assinem um termo de responsabilidade.

 

O que é considerado complicações médicas?

Toda grávida que tenha sintomas como sangramento, pressão alta, diabetes, gravidez de risco, gravidez de alto risco, risco de aborto, histórico de aborto, histórico de nascimento de criança prematura, entre outros.

 

É necessária documentação extra para mulheres grávidas viajarem?

Depois da 28 semana de gestação, no caso de mulheres grávidas de um filho, ou 25 semanas, no caso de gêmeos, é preciso apresentar declaração médica contendo o tempo de gestação, com o médico afirmando que não há complicações e que autoriza a viagem. Esse documento tem data de expiração. Dependendo da companhia aérea é necessária também apresentação do termo de responsabilidade assinado.

 

O que é MEDIF?

Dependendo da companhia aérea, a partir da 36 semana de gestação ou 32, no caso de gêmeos, é necessário que a grávida apresente, além da declaração do médico e termo de responsabilidade assinado, o MEDIF. O MEDIF é uma autorização médica requerida quando o passageiro não está em saúde perfeita, a gravidez é apenas um dos casos em que a documentação é necessária.

O formulário é fornecido pela própria companhia aérea e precisa ser preenchido pela gestante, seu médico e passar pela avaliação da companhia. Para isso é necessário que os documentos sejam enviados para a companhia aérea com antecedência de 72 horas do voo.

Em alguns casos, a gestante pode ser barrada ou precisa estar acompanhada de seu médico obstetra durante o voo. Essas condições normalmente são exigidas na fase final da gestação.

 

Qual a melhor época para mulheres grávidas viajarem?

Durante a gravidez, principalmente no início e no final, é mais provável que alguma complicação aconteça. Por isso, o terceiro trimestre de gravidez é o mais indicado para que as mulheres viagem, ainda mais quando os voos são longos. Nesse período, o bebê não está mais no processo inicial de sua formação e nem no final, diminuindo os possíveis riscos.

 

Durante o voo, como proceder?

Uma vez dentro do avião, lembre-se de pedir por assentos reservados para gestantes. Geralmente eles têm maior espaço para alocação das pernas e estão no corredor, facilitando a saída da mulher do assento para ir ao banheiro e se exercitar. Durante voos longos é indicado que as gestantes levantem por um tempo, estiquem as pernas e tentem movimentar e exercitar como possível as pernas. O uso de meias de compressão é indicado também para diminuir os riscos de coágulos e trombose.

 

Antes de comprar uma passagem aérea durante a gravidez é melhor que entre em contato com a companhia aérea para ter certeza de que poderá embarcar e saber ao certo quais documentos são necessários. Cada empresa age de acordo com um regulamento e por isso verificar suas condições específicas é muito importante.